História de Istambul – A capital de dois Impérios

IMG_3604

     Istambul, antiga Constantinopla e Bizâncio é uma cidade com história quase única no mundo, isto porque já foi capital de dois impérios, o Bizantino e o Otomano, e durante os dois foi capital também das suas respectivas religiões, a igreja ortodoxa cristã e a religião Muçulmana.

     Os primeiros indícios de pessoas a habitarem a área que hoje é Istambul, remontam ao ano de 6500 a.c, altura em que havia uma povoação a habitar a zona onde hoje se situa o palácio de Topkapi. Nesta altura o Bósforo ainda não existia, ou seja ainda se podia passar a pé da Europa para a Ásia.

     Durante os milénios seguintes  os assentamentos populacionais mantiveram-se até ao sec XII A.C, quando foi fundada a colónia de Bizâncio.

Bizãncio

     Corria o sec XII A.C, quando foi ”oficialmente” fundada a cidade que hoje damos o nome de Istambul. 

     Reza a lenda que Bizas, filho de Nisos (rei da cidade-estado grega  de Megara), terá se deslocado a ao oráculo de Delfos a fim de perguntar onde deveria estabelecer a sua nova colónia, ao que lhe responderam ”do lado oposto da cegueira”.

     Passado algum tempo, quando se encontrava no mar de Marmara, reparou que existia uma povoação do lado asiático do Bósforo, e que do outro lado havia uma península com um porto natural prefeito e ideal para uma nova colónia (actualmente a zona histórica de Istambul) e pensou que as pessoas da povoação só poderiam ser cegas para terem ficado daquele lado do Bósforo… e assim nasceu a cidade de Bizâncio.

     Hoje em dia não é possível ver relamente nada destes tempos, e a herança mais visivel é apenas o nome, pois alguns seculos depois esta cidade iria ser a capital do império Bizantino…

Constantinopla

     Durante os séculos seguintes, Bizancio estabeleceu-se como um importante porto comercial devido a sua excelente localização e acabou por ser conquistada pelo império romano no sec II D.C.

      No ano de 330, o imperador Costantino atraído pela prosperidade desta cidade, escolheu-a para ser a capital da parte Oriental do Império Romano, que após o fim do império romano, passou a chamar-se Constantinopla, capital do Império Bizantino que viria a durar mais de 1000 anos.

     Constantino que recentemente se tinha convertido ao Cristianismo, mandou construir muitas igrejas pela cidade, entre elas a basílica de Santa Sofia que durante muitos séculos foi a maior igreja do mundo !

     Constantino mandou também construir as muralhas de Constantinopla, que protegeram a cidade durante mais de 10 séculos, até ao ano de 1453, ano em que foi conquistada pelos Otomanos, apenas graças ao maior canhão do mundo… mas já falamos disso mais à frente. 

     No século VI, durante o reinado de Justiniano, o império Bizantino teve a sua máxima extensão e como tal Constantinopla como centro do império floresceu, atingindo o seu apogeu.

     Com o passar dos séculos o império Bizantino foi declinando, primeiro após de perder a batalha de Manziquerta, frente aos turcos Seljúcidas que ditou a perda da Anatólia, região muito fértil da actual Turquia, e depois quando Constantinopla foi saqueada pela quarta Cruzada.

     A cidade que chegou a ter 1 000 000 de pessoas, tinha apenas 40 000 habitantes no final do primeiro milénio e acabou por ficar completamente rodeada pelo Império Otomano durante os séculos que se seguiram.

     Apenas as suas excelentes muralhas, quase intransponíveis fizeram com que a cidade se mantive-se sobre controlo Bizantino até meio do século XV.

     Constantinopla, depois de 1100 anos sobre controlo do império Bizantino acabou por sucumbir ao império Otomano a 29 de Maio de 1453, depois de 8 semanas de cerco. 

     As muralhas de Constantinopla foram ultrapassadas devido a um canhão que na altura era o maior do mundo, canhão esse que no inicio era para ser feito para Constantinopla mas devido à falta de fundos, o construtor de canhões Húngaro voltou-se para o Sultão Mehmet II (sultão do Império Otomano), e fez-lhe o maior canhão que o mundo já tinha visto.

     Esta batalha tem alguns acontecimentos únicos, como a estrada de barcos feita pelos guerreiros Otomanos para passar os navios para o outro lado de Istambul, mas deixamos aqui uma imagem que dá para dar uma ideia do cerco e da conquista

     Depois de ocupar a cidade, o sultão Mehmed II ”O Conquistador”, converteu a igreja de Santa Sofia a Mesquita, e proclamou a cidade como capital do império otomano.

 

     Hoje em dia em Istambul é possível ver os seguintes monumentos do referentes Império Bizantino. 

Basílica de Santa Sofia (Aya Sophia)
Basilic Cistern - Istambul
Basílica Cisterna
Torre de Costantino
Muralhas da cidade
Hipódromo
Chora Museum
Hagya Irene

     A melhor maneira de ter um deslumbre de como era o império bizantino, é sem dúvida através dos seus mosaicos e frescos espalhados por diversos monumentos, aconselhamos especial atenção para os que se encontram no Chora Museum, na Aya Sophia e no museu de mosaicos mesmo por trás da mesquita azul.

Istambul

     Quando caiu sobre domínio Otomano, Constantinopla passou a chamar-se Istambul e o sultão Mehmed II apressou-se a revitalizar a cidade e a repovoa-la, entre os povos que foram convidados para a nova capital do império, estavam os Judeus, o que mostra uma rara aceitação religiosa, muito incomum no resto do mundo, mas comum no Império Otomano que tinham a reputação de permitir a liberdade religiosa aos povos conquistados.

     O sultão Mehmed II iniciou também a construção do Grande Bazar e do Topkapi Palace, que ainda existem nos dias de hoje.

Topkapi Palace

     Durante os anos que se seguiram a cidade passou da capital do cristianismo Ortodoxo, para a capital do Império Otomano e por consequência um bastião do Islão. Foram construídas mesquitas e infraestruturas de apoio à população, como escolas, hospitais, balneários… 

     Dessas construções, as que mais se destacam nos dias hoje são sem dúvida a Mesquita Azul, mandada construir pelo sultão Amhed  I no inicio do sec XVII e a mesquita Süleymaniye, coconstruída por Süleyman ”o Magnifico”, estas são as duas maiores e mais imponentes mesquitas da cidade.

     Istambul seguiu o destino do Império Otomano e foi declinando nos séculos que se seguiram

     O império foi perdendo a sua força e o seu território, e Istambul foi perdendo a sua importância imperial, no entanto continuou a ser uma cidade muito importante devido a sua localização geográfica e e manteve-se o centro sociocultural daquela região do Globo.

     Com o final do império Otomano após a primeira Guerra Mundial e com o nascimento da Republica da Turquia, Istambul perdeu a estatuto de capital a favor de Ankara.

     Isto aconteceu por algumas razões, a primeira é que durante a guerra Istambul foi ocupada por forças aliadas, e foi em Ankara que ficou se instalou o quartel general das forças nacionalistas turcas e os serviços administrativos, depois porque Ankara está numa posição mais central em relação ao território turco e por fim porque é como um ‘‘virar de página” em relação ao passado imperialista turco, que está tão intimamente relacionado com Istambul.

IMG_4293
Data da conquista de Constatinopla pelos Otomanos

     Durante grande parte do século XX, Istambul foi uma cidade um pouco estagnada, sobretudo por falta de investimento público e privado.

     Isto mudou bastante com o virar do milénio, e hoje em dia Istambul é uma ”mega-cidade” com quase 15 000 000 de habitantes (quarta maior cidade do mundo), com vias de comunicação e de transporte modernas e com uma diversidade cultural Ímpar.

Artigos relacionados

se tiveres alguma dúvida, ou quiseres colocar alguma questão, é só deixar aqui um comentário ou enviar-nos um e-mail para worldonmyway@worldonmyway.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *