10 experiências únicas para viver em Istambul

Blue Mosque - Istambul

1 - Aprender a arte do regatear

     Esta é uma das coisas que mais gozo nos deu em Istambul… regatear .

     Nesta cidade quase tudo é regateável, desde os restaurantes, táxis, e praticamente qualquer coisa comprada em lojas de rua, está tudo aberto a negociações.

     Mal chegámos ao aeroporto, entrámos logo em contacto com esta arte milenar, pois pediram nos logo 50€ para nos levarem do Aeroporto de Ataturk ao centro da cidade, que não são mais que 20 km… Depois de alguns minutos lá conseguimos que nos levassem por 70TL (aproximadamente 16€).

      O melhor sitio para treinar o regatear é sem dúvida no Grand Bazar, aqui tudo é regateável, e a maior parte das coisas nem sequer tem preço. 

     Fora desta zona há algumas ruas onde os preços já são muito baixos e  nesses casos não há tanta margem para regatear, mas de resto há muitas lojas fora do Grand Bazar onde é possível regatear.

Grand Bazzar - Istambul

 

     Nós tivemos uma situação engraçada numa loja de candeeiros, onde fomos convidados para beber um chá e literalmente para regatear os preços dos candeeiros, e foi uma experiência muito engraçada.

     Nos restaurantes, é quase certo a frase ” if you want i give you a discount of 5TL in each plate” ou algo do género, e se nos mostrarmos um pouco reticentes ainda pode ser que tenhamos a sobremesa por conta da casa ! 

     Quanto mais nos afastamos do centro turístico e entramos mais nas zonas da cidade, habitadas e frequentadas por turcos deixa praticamente de haver regateamento, pois as coisas tem todas preços (baixos) e não é usual regatear. 

O senhor da tal loja de candeeiros

2 - Andar de ferrie no Bosfóro

     Esta é uma das experiências obrigatórias para quem visita Istambul , que é passear de Ferrie no Bósforo e ver esta linda cidade desta perspectiva única.

     Existem vários passeios turísticos, com duração de 2-3 horas, que até nem são caros, vimos preços desde os 15 €, mas nós optámos por uma solução mais em conta e mais ”verdadeira” e andámos nuns dos muitos ferries domésticos utilizados pelos turcos.

     A principal doca de onde partem os barcos é em Eminönü, que se situa perto da Galata Birdge do lado península histórica. Daqui é possível apanhar uma grande variedade de Ferries, no entanto para os turistas o que faz mais sentido e é mais usual é fazer a travessia Eminönü – Kadıköy, que nos leva até ao lado asiático e é dos poucos percursos de onde é possível observar toda a península histórica, e a Maiden Tower. Custa 5TL ( ≈1€) e demora mais ou menos 1 hora.

     Para quem gosta de andar a pé podem sempre fazer como nós, que fomos a pé até Ortaköy que é depois do Dolambache Palace (quse ao pé da ponte do Bósforo) e apanhámos ai o Ferrie para Kadıköy, e depois para Eminönü, no total andámos quase 1 hora de ferrie e pagámos 2 euros por pessoa.

Vista para Istambul do Bósforo

3 - Atravessar a Galata Bridge e provar um Balik Ekmek

     A Galata Bridge, é a ponte que liga a Golden Horn (península histórica) a Karaköy, um dos bairros mais aintigos da cidade.

     Atravessar a Galata Bridge é uma experiência obrigatória para quem visita Istambul, a ponte liga Eminönü a Karaköy, uma zona muito interessante da cidade, onde é possível visitar a Galata Tower e inúmeros edifícios religiosos. 

     A ponte tem também uma vista muito agradável para a cidade e para o Bósforo, em especial para os seus ferries que partem de Eminönü a principal zona de barcos desta parte da cidade.

     Uma característica muito interessante desta ponte são as centenas de pescadores que se encontram a pescar do tabuleiro. São dezenas e dezenas de pessoas dos dois lados da ponte que pescam, sobretudo pequenos peixes que depois são vendidos ou aos restaurantes ali perto, ou para consumo próprio. Nunca vimos tantos pescadores juntos  !

Os pescadores na ponte
os pescadores na ponte

Balik Ekmek

     O Balik Ekmek é uma comida de rua típica de Istambul e é basicamente uma sandes de peixe frito com alguns vegetais. A maior parte dos sítios que vendem esta sandes estão ou na Galata Bridge, ou em redor, nos barcos que estão ancorados na margem. Estas sandes são baratas, custam 10TL (Dez2017) e são uma comida muito procurada nesta zona da cidade.

Galata Bridge e os seus restaurantes, pescadores e a mesquita Süleymaniye ao fundo

4 - Visitar a parte Asiática de Istambul

     Istambul é uma cidade que se encontra entre dois continentes, a Europa e a Ásia, pelo que uma visita à parte Asiática é quase como que obrigatória .

     Para ir a esta parte de Istambul basta apanhar um ferrie de Eminönü ou outra parte europeia da cidade, para Kadıköy ou Üsküdar. 

     Nós fomos a Kadıköy, e gostámos porque deu para sentir a cidade de outra maneira, longe dos turistas e mais em contacto com a população em si. Há muitos vendedores de rua na saída dos ferries, a venderem tudo, desde mexilhões a meias pois é uma zona de grande fluxo de pessoas.

     Almoçamos nesta zona, dois Kebab’s e duas bebidas de lata pelo valor de 11,5TL (duas pessoas), ou seja 2,5 €.

5 - Ouvir o chamamento para a Oração

     Ouvir um dos cinco chamamentos para a oração, foi uma das coisas que mais nos marcou, especialmente quando estávamos dentro de uma mesquita ou numa das ruas cheias de pessoas. 

     Os muçulmanos são chamados 5 vezes para rezar, em diferentes alturas do dia. Estas orações não  têm hora marcada, pois regem-se pelo movimento do Sol, a primeira é no alvorecer e a é última mais ou menos uma hora e meia depois do pôr-do-sol.

     Para nós foi uma experiência marcante porque a Turquia foi o nosso primeiro país realmente muçulmano (já tínhamos ouvido um chamamento na Bósnia) e foi aqui que ouvimos pelas primeiras vezes o chamamento para oração, e quando se está no interior de uma mesquita, ou nas ruas cheias de pessoas e o Muezzin começa a chamar para a reza, é algo marcante !

     Todas as mesquitas sem excepção, estão fechadas para as visitas dos turistas durante as orações.

6 - Fumar shisha num verdadeiro café de shisha turco

     Para quem gosta de fumar shisha, ou quer exprimentar pela primeira vez, nós recomendamos sem dúvida uma visita ao Erenler Hookah.

     Este ”café”, que basicamente é um espaço para se fumar e para se beber uns chás, oferece uma verdadeira experiência de fumar shisha em Istambul, com muitas pessoas locais e um ambiente muito genuíno. 

     Este espaço fica perto do Grande Bazar, dentro de uma espécie de ”ex-túmulo/cemitério” e uma shisha custa 25TL (5€)

7 - Provar alguns sabores de Istambul

     Istambul tem uma gastronomia muito interessante, sobretudo a nível de ‘‘street food”. 

     Nós aproveitámos para comer todas as vezes fora porque os preços são muito convidativos, e para quem vá durante apenas alguns dias não compensa tentar fazer comer em algum lado, ou mesmo fazer sandes, porque é possível ter uma refeição por 2€, isto se for algo do género Kebab + Bebida, ou por 5€ no caso de uma refeição de prato, com bebida..

     

 

     A nível de restaurantes fomos sempre bem servidos, quer a nível de quantidade de comida, quer a nível do preço e da simpatia das pessoas. 

     Em praticamente todos os restaurantes o pão, a água e o chá são gratuitos,e são servidos em conjunto com o prato.

     Comemos alguns pratos típicos, como vários tipos de kebabMantı (chamados também Turkish raviolis), Peixe frito e grelhado, Pide ( género de uma pizza em forma de barco, Balık Ekmek (sandes de peixe frito), Lokum ou Turkish delight (sobremesa) e Baklava (sobremesa com pistachos).       

     A nível de bebidas, a bebida de eleição é sem dúvida o Chá, ou Çay em turco. É muito comum estarem nas lojas, na rua, nos cafés… a beber chá.

     Para alem do chá, o Turkish Coffee, e o Ayran que é uma bebida que parece metade leite metade iogurte, são as outras principais bebidas típicas.

     O álcool não é muito comum pois a religião muçulmana proibe o consumo, e apenas alguns restaurantes para turistas é que vendem cervejas e esse género de bebidas.   

     Por toda a cidade há muitos vendedores de castanhas, milho, mexilhões (mais ao pé de rio) e Simit, que é um pão parecido com Bagel, mas mais seco e com sementes.

     Pelas ruas há também muitos vendedores de sumos naturais, de diferentes frutos da época, na altura em que fomos bebemos muito sumo de laranja e de romã.

8 - Visitar monumentos de dois impérios

     Istambul é uma cidade única e uma das melhores experiências que se pode ter é perdermos-nos no património cultural que está espalhado pela cidade, por esta ter sido capital de dois impérios e o centro de civilização durante muitos anos naquela região do globo.

     Há muitos monumentos que merecem uma visita nesta cidade, vamos destacar alguns, mas para uma melhor compreensão sobre a história de Istambul e os principais monumentos dos dois impérios que se estabeleceram nesta cidade, aconselhamos uma leitura ao nosso artigo sobre este tema .

HISTÓRIA DE ISTAMBUL – CAPITAL DE DOIS IMPÉRIOS

 

     Os monumentos de visita obrigatória são os seguintes : a Aya Sofya, a mesquita azul, o Grand Bazar,  o Topkapi Palace, a Mesquita de Süleymaniye e a Basílica Cisterna.

9 - Meter a conversa em dia com os turcos

     De todas as pessoas com quem já lidámos, os turcos são sem dúvida o povo mais simpático/afável. Estão sempre a meterem-se com as pessoas no bom sentido, a ajudarem-nos, por vezes  sem pedirmos nada e a fazerem-nos realmente ”sentir em casa”. 

     Outra coisa engraçada em relação aos turcos é que muitos deles, principalmente os que trabalham nas zonas turísticas falam espanhol… Aconteceu muitas vezes estarmos a andar na rua e começarem a falar connosco em espanhol, do tipo ” hola amigo, barato”,o que não deixa de ser engraçado.  

     Como é óbvio, os turcos querem muito vender, e fazer promoção ás suas lojas e restaurantes, mas são realmente simpáticos e engraçados a fazer isso, e perdemos a conta ás vezes que ficámos a falar com eles, mesmo eles sabendo que não íamos comprar nada.

     

10 - APRENDER O QUE É O ISLÃO COM UM MUÇULMANO

     Esta foi uma das experiências mais marcantes que tivemos em Istambul, que foi estar a falar 2 horas com um muçulmano, onde podemos fazer todas as perguntas que nos vieram à cabeça sobre esta religião.

     Isto aconteceu na mesquita azul, onde existe uma sala onde as pessoas podem ser esclarecidas acerca do Islão, nós estávamos a passar ao lado da sala, quando um senhor nos chamou e acabámos por ficar 2 horas à conversa com ele, onde fizemos todas as perguntas que nos lembrámos, desde o papel da mulher no islamismo, até ao recente problema de Jerusalém.

     No final o senhor deu-nos um Alcorão português, e mais uns livros, sem nós pedirmos nada. 

     Embora durante o tempo que lá tivemos apenas tivesse aparecido 4 pessoas, qualquer pessoa pode entrar e esclarecer as dúvidas que tenham em relação ao Islão.

Artigos relacionados

se tiveres alguma dúvida, ou quiseres colocar alguma questão, é só deixar aqui um comentário ou enviar-nos um e-mail para worldonmyway@worldonmyway.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *