A nossa casa sobre rodas

.

A nossa casa sobre rodas

     A nossa casa sobre rodas foi uma parte fundamental da nossa viagem, proporcionou-nos momentos únicos e levou-nos a 37 países sem nunca nos deixar mal.

     Antes de termos começado a nossa busca pela nossa companheira de viagem nunca nenhum de nós tinha entrado numa caravana, nem tínhamos tipo o mínimo contacto com esta maneira de viajar, apenas tínhamos feito campismo selvagem e viagens de carro por isso foi tudo uma novidade.

     Durante estes 9 meses desenvolvemos uma relação muito especial com a nossa caravana e com esta maneira de viajar

     Viajar assim liga muito bem com a nossa personalidade, não nos importamos de viver num espaço pequeno, e somos arrumados o que ajuda imenso, para alem disso não somos pessoas que precisem de muito, nem de muitas coisas e tudo o que precisávamos estava naqueles poucos metros quadrados.  

Uma das nossas primeiras refeições da viagem

     Houve uma altura em não tínhamos electricidade dentro da caravana, ou seja não tínhamos água ( não funcionava a bomba eléctrica que faz a agua correr pela torneira), não tínhamos luz, nem água quente nem nada e sinceramente, estivemos sempre bem, aliás até foi bom para nos fazer perceber que o que importava mesmo era termos a felicidade de  estar a viajar, e que apenas precisávamos de uma cama e que a carrinha continuasse a andar para continuarmos viagem.

     Durante umas 4 semanas, tivemos sempre a luz das velas e aquecíamos a água para nos lavarmos na panela, até que um dia milagrosamente o nosso problema resolveu-se sozinho e viajámos mais 7 meses sem mais nenhum problema eléctrico. 

     Isto para dizer que  se calhar nem todas as pessoas estão ”prontas” nem na disposição de fazer uma viagem assim durante tantos meses, e que viver numa caravana não é a mesma coisa que estar num hotel, mas na verdade.. o que que precisamos mais? Temos casa-de-banho, cozinha, sala, quarto.. tudo sobre rodas, que nos permite ir um pouco mais longe que o turismo convencional nos leva, pelo menos numa viagem deste género pela Europa. Se calhar na Ásia, uma viagem de mochila é capaz de nos levar a sítios que de autocaravana não poderíamos ir..

DCIM100GOPROGOPR4984.
nós com 0º e sem luz

          Viajar muitos meses apenas com uma mochila e de hotel em hotel, acaba por ser bem mais cansativo do que viajar assim, sempre com a nossa casa ”às costas”, onde podemos parar em qualquer lugar, e jantar com vista para um lago ou para uma praia.. é realmente uma sensação única.

     Claro que nem tudo ”são rosas”, e que há um ou outro ponto negativo. Um deles é que acabamos sempre por ficar um pouco receosos quando abandonamos a autocaravana porque estão lá todos os nosso pertences, por exemplo quando fomos a Zakynthos, que é uma ilha grega e tivemos que deixar a carrinha 3 dias no porto ficámos com algum medo

     O outro ponto negativo é que estamos sempre dependentes de possíveis problemas mecânicos e todos os problemas que eles possam causar. Os problemas podem ser pequenos, como um tubo roto da água, como tivemos em Inglaterra que é insignificante, ou grandes, quando por exemplo tivemos que pagar 500€ e ficar duas semanas ”parados”  para nos mudarem a embraiagem na Polónia.

     Há outra vertente nesta categoria de possíveis problemas mecânicos, que é termos um problema mecânico de tal maneira grave, que dependente do pais em que estamos pode implicar o fim da viagem. Se tivéssemos tido o problema do kit de embraiagem na Noruega, podíamos ter que ter pago algo a rondar os 2 000€ , o que nos teria obrigado a encurtar a viagem.

     No entanto o pior é mesmo a possibilidade de termos um acidente, ou de virem contra nós com outro carro… mas a verdade é que isso já nos ultrapassa….. podemos ir de avião para Paris, sair do aeroporto e ser atropelados.. o que temos que fazer é tentar lidar com as situações da melhor maneira e neste caso, conduzir com precaução. 

quando arranjámos o alternador na Bulgária

     Nós sempre acreditámos que iria tudo correr bem e os problemas que tivéssemos, iríamos resolver… e foi mesmo que isso que aconteceu. Os problemas por um lado até são bons,  porque nos dão a possibilidade de lidar com eles e resolve-los, quando a nossa autocaravana não pegava na Ucrânia, ninguém falava inglês, não havia reboques nem tínhamos seguro sequer para aquele país, parecia que não havia volta a dar, mas a verdade é conseguimos resolver o problema e saímos mais fortes dessa situação!

     Aliás, se pudesse escolher, escolhia ter acontecido aquilo ali, que noutro sitio qualquer, porque acabou por ser uma situação para nos recordarmos mais tarde, e no resto da viagem nunca tivemos medo de nenhum futuro problema, porque pior do que já tínhamos estado, era complicado.

quando e onde comprar?

     Para quem tenha um orçamento limitado como o nosso, não há grandes hipóteses em relação a onde comprar a AC, a não ser nos habituais sites de venda de carros e artigos usados como o OLX, Custo Justo, StandVirtual.. a outra opção é a velha maneira do amigo do amigo que está a vender uma auto caravana ou algo desse género. Para quem tenha um orçamento maior, pode sempre ver em Stand’s, mas os preços vão ser sempre influenciados.

     Alugar uma autocaravana para um período tão longo é completamente impraticável, porque para além de ser quase impossível encontrar alguém que alugue durante tantos meses, o valor seria quase o preço de comprar uma nova . Para quem queria alugar por por períodos de uma ou duas semanas, o valor nunca vai ser inferior a 60€ ( em Portugal e a particulares), numa empresa de autocaravana normalmente os valores são no mínimo 150 €/dia.

     Existe uma outra opção que é fazer a nossa própria casa sobre rodas ! Essa opção esteve em cima da mesa para nós, no caso de não termos conseguido arranjar o dinheiro que precisávamos, porque é uma hipótese bem mais económica. Neste caso, o orçamento desce para menos de 5 000€, e já a pensar numa carrinha em boas condições e um pouco mais recente, um amigo nosso por exemplo fez uma auto vivenda por 3000€ tudo incluído. 

     Durante a nossa viagem vimos muitas pessoas a viajar em auto vivendas, e achamos que a única desvantagem é apenas o facto da casa de banho. Grande parte das auto vivendas não tem casa de banho, o que ao fim de algum tempo, e a viajar no inverno e em cidades pode tornar-se um pequeno problema, mas nada que não se resolva. 

     A melhor altura para comprar uma AC tende sempre a ser o Inverno, porque é quando mais gente quer vender e menos gente quer comprar, nós compramos a nossa em Setembro e vendemos em Outubro, por curiosidade no ano em que estivemos em viajar o mercado de auto-caravanas usadas em Portugal alterou-se ligeiramente e os preços subiram. A nossa caravana custou-nos 8500€  e vendemos por 9500€, no entanto quando a comprámos era comum haver bastantes caravanas por este valor e agora são raras.

fotos da nossa casa sobre rodas

Artigos relacionados

se tiveres alguma dúvida, ou quiseres colocar alguma questão, é só deixar aqui um comentário ou enviar-nos um e-mail para worldonmyway@worldonmyway.com

6 comentários em “A nossa casa sobre rodas

  • Olá, desde já obrigado pela vossa partilha de experiências, o que eu gostaria de saber é, se é legal transformar uma carrinha em autovivenda? Obrigado

    • Olá, é e não é ! Pelo que nós sabemos o problema de transformar uma carrinha em autovivenda é em primeiro lugar as inspecções e as cozinhas. Ou seja não é ”legal” ter uma cozinha montada com sistema de gás, quer para as operações stop, quer nas inspecções. A maneira de resolver isto, pelo menos pela informação que temos até agora, é não ter a cozinha fixa, ou seja ser amovível, para se poder tirar nas inspecções e para no caso se sermos mandados parar pela policia, dizer que é para montar no exterior quando estivermos num parque de campismo..

  • Olá
    Quero desde já agradecer a partilha desta fantástica experiência e acreditem que veio dar mais força à vontade de abraçar o projecto de alterar um veículo. Continuo com uma dúvida, caso altere o interior de uma carrinha e instale um WC, uma mesa e uma cama, na inspecção periódica levantam problemas? Numa operação STOP poderei ser autuado por alguma violação da lei? Agradeço desde já ajuda que possam dispensar.

    • Boas António, legalmente sim, pode ter problemas. Nós estamos agora a alterar uma carrinha e vamos abordar essa questão no futuro.
      A informação que eu tenho é que se formos seguir a lei à risca, uma carrinha de mercadorias tem que andar com facturas de tudo o que anda na parte de trás e não pode sofrer alterações significativas à ”base” do veiculo. O que normalmente se faz para não ter grandes problemas é fixar os moveis de uma maneira ”amovível” para no caso de uma operação stop se poder dizer que os moveis são para montar no exterior, mas com um WC funcional e uma cozinha acaba por ser quase impossível. No caso da inspeção, tudo depende da pessoa que vai inspeccionar… mas tecnicamente sim, pode ter problemas.

  • Olá … viajar de motorhome é tudo de bom mesmo! Parabéns pela viagem! Somos do Brasil e desde 2013 temos um motorhome na Europa comprado na Alemanha. Ficamos vários meses aí e quando voltamos para o Brasil deixamos em um camping. Em 2016 resolvemos transferir o MH da Alemanha para Espanha (nossos amigos da Alemanha voltaram para o Brasil) e na Espanha temos amigos desde a época que fizemos o Caminho de Santiago! Nos arrependemos amargamente pelo trabalho que deu a transferência! Burocracia sem fim! Viajar de MH é uma experiência inenarrável! Há que vivenciar! Sou suspeita para falar porque gosto muito desse tipo de viagem! Também temos motorhome aqui no Brasil! Mas chega … sua escrita é muito agradável de ser lida! Parabéns pelos sonhos e concretização deles! Depois do dia 15-08 estaremos de novo em Portugal para visitar amigos e sair novamente em viagem …. abraços

    • Olá Cleci ! É mesmo uma ”experiência inarrável”, esperamos que continues a desfrutar das tuas viagens de motorhome, e aproveita Portugal que é um país lindo !
      Cumprimentos !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *