Transformação Carrinha #1 – Introdução

A ”vida sobre rodas” é sem dúvida uma das nossas grandes paixões. Durante a nossa viagem pela Europa de Autocaravana, tomámos a decisão de num futuro próximo iniciarmos um novo projecto, transformar uma carrinha numa autovivenda/autocaravana. Passados uns meses da nossa chegada a Portugal, aqui estamos nós, a começar esta nova aventura!

Neste artigo vamos explicar um pouco do porquê da nossa escolha, como vamos abordar este projecto aqui no site e os próximos passos desta transformação.

autocaravana

Porquê?

Antes de mais vamos falar do porquê de termos decidido transformar uma carrinha e não comprar logo uma autocaravana ou mesmo termos mantido a nossa.

No momento em que comprámos a nossa autocaravana, já tínhamos planeado vende-la assim que chegássemos a Portugal 

Decidimos comprar uma carrinha e transforma-la em vez de comprarmos uma autocaravana, porque primeiro acaba por ser mais barato, dependendo das transformações que se queira fazer, segundo e mais importante, porque podemos ser nós a fazer, e vamos poder aprender e ganhar competências e experiência nesta área, e por fim porque temos a possibilidade de com esta carrinha podemos simplesmente, fazer o que quisermos. 

Temos por exemplo uma cama de rede, que não era uma opção na autocaravana; se precisarmos de espaço podemos criá-lo, construindo mais móveis, com as dimensões que achamos serem as correctas; podemos pintar com as cores que mais nos agrada, se nos cansarmos podemos lixar e envernizar de novo.. enfim, é só dar-mos asas à nossa imaginação e criar.

É mesmo gratificante estar num espaço totalmente cómodo que foi pensado e “desenhado” por nós. 

autocaravana
autocaravana

A transformação aqui no site

Vamos ter um espaço aqui no site dedicado a esta transformação, onde vamos colocar as várias fases que vamos passar para transformar a nossa carrinha numa casa sobre rodas.

Todas as informações que formos colocando aqui não devem ser interpretadas como ”verdades absolutas” , podendo não ser obviamente as opções mais correctas, isto porque vai ser baseada apenas na nossa experiência, que é o resultado de muita pesquisa, de perguntarmos a pessoas que trabalham na área e na nossa opinião pessoal, no entanto obviamente está sempre sujeita a erros.

Consoante formos colocando aqui os artigos, vamos tentar também colocar o porquê das nossas escolhas, para ajudar as pessoas que no futuro pensem fazer algo do género.

Esta vai ser a nossa primeira experiência deste tipo, aliás, a nível de bricolage o máximo que fizemos foi um armário pelo que vai ser sem dúvida uma experiência muito interessante,.

Qualquer informação que achem pertinente, conselhos, dicas… estejam completamente à vontade para as dar, que certamente nos vão ser muito úteis.

autocaravana

A carrinha

A carrinha que comprámos foi uma Iveco Daily 30.8D. Escolhemos esta carrinha por várias razões, que vamos passar a explicar :

  • Cabemos em pé no interior, o que para nós era um requisito obrigatório;
  • A caixa tem 3,7m de comprimento, o que a torna muito espaçosa, mas não o suficientemente grande para ser  um incomodo a nível de estacionamento e de consumos de gasóleo;
  • O preço, custou-nos menos de 2000€, o que também era um factor importante para nós.
  • Mecanicamente parece-nos estar em boas condições, e o motor é bastante fiável e forte. 
Transformação motorhome carinha
Transformação motorhome carinha

Próximos passos

Neste momento, já estamos a fazer o chão e os próximos passos vão passar por acabarmos o isolamento, o chão, fazer uma janela, instalar os depósitos da água e o painel solar, depois é fazer o interior todo.

Outros artigos da transformação

Ajuda-nos a viajar mais 🙂

Queres ajudar a manter o site no ar e a contribuir para a nossa paixão de viajar? Utiliza um dos links abaixo para fazeres as tuas reservas. Para ti não tem qualquer custo e nós recebemos uma pequena comissão. Muito obrigado.

  • Reserva de alojamento através da Booking —-> Clica aqui !
  • Reservas através do Airbnb (30€ de desconto – novos utilizadores) —-> Clica aqui !
  • Compra os bilhetes para os monumentos e experiências através do Get Your Guide —> Clica Aqui !

se tiveres alguma dúvida, ou quiseres colocar alguma questão, é só deixar aqui um comentário ou enviar-nos um e-mail para worldonmyway@worldonmyway.com


17 thoughts on “Transformação Carrinha #1 – Introdução”

  • Boas.

    Parabéns pela conversão home made.
    Ando tentado a fazer o mesmo… mas ainda não ponderei bem o tamanho da carrinha a comprar para 2 adultos e uma criança. Ando a pensar se comprar uma carrinha de 9 lugares não será melhor em termos de não ter a separação de carga… por outro lado… removendo os bancos e montando a zona de caravana, não sei se não será motivo para numa operaçao stop me mandarem logo para ipo b e ter de desmontar tudo…

    Ps. Tem ideia (grosso modo) valor da conversão? Planeio uma a duas janelas e pelo que vi o preço delas upa upa (a montagem irei fazer eu) e uma a duas claraboias (também) em casa. Wc… talvez só a sanita e o chuveiro exterior… será para viagens por cá e e fim de semana e e eventuais ferias de 4/5 dias… a parte elétrica… voces não tem aquecimento elétrico? É confortável sem isso?

    • Boas Valter, antes de mais deixo-te aqui o link do artigo dos gastos : https://worldonmyway.com/transformacao-da-carrinha-12-os-gastos/.
      Em relação à transformação de uma carrinha de passageiros, aconselhava-te a veres o preço da legalização pois fica bem mais barata que a nossa ( deve ser menos de 1000€) pelo que até pode compensar legalizar. As janelas se forem como as nossas, de abrir para o lado custam 150€ cada uma.
      A nivel do aquecimento, funcionamos com mantas eheh. Aquecimento eletrico está completamente fora de questão pois não é possível suportar o gasto de energia de por exemplo 1000w durante 2/3h sem umas duas ou 3 baterias e outros tantos painéis solares. Há é a hipótese de um pequeno aquecimento a gás, mas depois levanta-se o problema do consumo de oxigenio, o que implica sempre uma pequena ventilação com o exterior. A melhor solução é um aquecimento a diesel, mas é um pouco caro..

  • Boa noite, quero partilhar que adorei a transformação que fizeram, muitos parabéns! Gostaria de saber quanto tempo demorou a transformação da carrinha? Quanto à cor, por mim acho que está ótima assim, talvez uns desenhos ou algo um pouco mais elaborado, mas a cor está qualquer coisa, eu não gastaria 1000€ a pintar :p
    Que tudo vos corra bem a descobrir o nosso incrível planeta.
    Pedro Neca 🙂

    • Boas, muito obrigado !
      Demorou cerca de 4 meses, aos fins de semana e 2 semanas a ‘tempo inteiro’, mas a verdade é que ainda não esta acabada, ha sempre alguma coisa por fazer .
      Provavelmente vamos pintar nós, de amarelo ou verde.
      Cumprimentos.

  • Gostei imenso, simples, muito bem explicado e o resultado está incrível. Estou a pensar fazer o mesmo e gostaria de saber quais os melhores sítios para encontrar uma carrinha mais ou menos por este valor. Como encontraram a vossa?
    Muitos Parabéns pela transformação da carrinha.
    Diana

    • Olá Diana, muito obrigado !
      Nós comprámos a nossa através de um anuncio no OLX, mas podes tentar ver também no StandVirtual, Custo Justo ou no Marketplace (facebook).
      Boa sorte !

  • Olá boa tarde, muitos parabéns pelo trabalha que fizeram. Na carrinha e no registo fotográfico e descritivo. Estou tentado a embarcar numa empreitada semelhante, e vi uma carrinha igual. Iveco, daily 30.8. Ainda não a fui experimentar, mas já conduzi outras carrinha, e acho que os 75 cavalos podem ser poucos para as seus 6m. Qual é a vossa opinião? Suficiente? Recomendam comprar mais potente? Como se comporta em auto estrada? Muito obrigado e boas viagens!

    • Boas Pedro.
      Olha a carrinha não é muito rápida… Andamos normalmente a 90 km/h em vias rápidas, e 70/80 km/h nas nacionais, e no máximo chega aos 110 km/h mas nada recomendável…
      Podes optar pela versão com turbo, e rodado duplo, se a nível de consumos e de preço não for impeditivo para ti, é uma base melhor !
      Boa sorte !

  • Boas, Miguel e Rita.
    Tenho uma 30.8 “nua” debaixo de olho e acabei de “tropeçar” no v/ site. Em boa hora, pois ele vai ao encontro de algumas dúvidas minhas, quer mecânicas, quer técnicas, quer administrativas. Espero que tenham pachorra para o “inquérito”…
    Assim, voltariam a comprar a 30.8 ou concluiram que é a menos para a função ? Em cenário montanhoso não é muito “caracol” ? Tenho um old school a fazer 13/100. na 30.8 vou manter ou melhorar ? Num modelo descontinuado é fácil a reposição de componentes ? Têm a modificação averbada no livrete, é processo simples e acessível € ou “estamos em Portugal” ? Quais as “capelinhas” a percorrer para o averbamento ?
    Provavelmente terei + questões que agora não me surgem…
    Agradeço o tempo que vos tomei e gostava de ter o feedback destas questões e/ou outros comentários/sugestões adicionais.
    Boa estrada.
    josep ereira

    • Boas José ! Vamos responder às questões por pontos, para ser mais facil a compreensão .
      – É um pouco caracol, em plano andamos normalmene a 80, 90 no máximo, sendo que velocidade máxima neste momento deve ser uns 110km/h
      – Com calma no acelerador conseguimos fazer 10, 10.5lt/100km, sendo que ela está carregadisima ( completamente caregada, atinge quase os 3000 kg).
      – Ainda não precisámos de grandes peças, mas já mudamos por exemplo o kit de distribuição, o puxador da porta e foi fácil.
      – A nivel de legalização, aconselho-te a leres este artigo : https://worldonmyway.com/transformacao-da-carrinha-11-a-legalizacao/

      Em relação a se compravamos ou não outra carrinha, o unico senão é a capacidade de peso da carrinha. Esta carrinha não tem rodado duplo, e como é bastante grande, torna-se algo limtativo a novel do peso que podemos caregar. No nosso cao estamos satisfeitos, mas se quisessemos fazer uma carrinha para ficar connosco ‘para a vida’ tinhamos optado por uma de rodado duplo provavelmente, embora sejam mais caras ( algo que pesou na altura de comprarmos a nossa)
      Se tiveres alguma dúvida extra, é só perguntares

      • Tenho um veículo destes, apenas com uma ou duas diferenças, um diferencial vermelho (um diferencial de força e muito resistente), e molas reforçadas… a nivel de desempenho é sempre igual, carregada ou nao a velocidade é quase a mesma. A minha não é a turbo nem a de rodado duplo, o que na minha ótica só sao benefecs, menos problemas relativos a mecanica, derivado ao turbo (e se é para fazer férias também nao é necessario ir a mais de 100 k/h, até porque nem as estradas nem a lei o permite) os consumos talvez sejam melhores. relativamente ao rodado duplo, será mais dois pneus a consumirem, mais peso, relativamente ao eixo e aos pneus, e que se no final fizermos as contas tanto a de rodado duplo como a de simples carregam o mesmo peso, porque embora possa levar mais 200 ou 300 kilos eles sao “utilizados” no eixo e nos pneus.
        Possivelmente num futuro próximo irei também converter a minha.

  • Tenho um veículo destes, apenas com uma ou duas diferenças, um diferencial vermelho (um diferencial de força e muito resistente), e molas reforçadas… a nivel de desempenho é sempre igual, carregada ou nao a velocidade é quase a mesma. A minha não é a turbo nem a de rodado duplo, o que na minha ótica só sao benefecs, menos problemas relativos a mecanica, derivado ao turbo (e se é para fazer férias também nao é necessario ir a mais de 100 k/h, até porque nem as estradas nem a lei o permite) os consumos talvez sejam melhores. relativamente ao rodado duplo, será mais dois pneus a consumirem, mais peso, relativamente ao eixo e aos pneus, e que se no final fizermos as contas tanto a de rodado duplo como a de simples carregam o mesmo peso, porque embora possa levar mais 200 ou 300 kilos eles sao “utilizados” no eixo e nos pneus.
    Possivelmente num futuro próximo irei também converter a minha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *