Road trip Marrocos | Roteiro 15 dias

0
Dias de Road Trip
0
Kms Percorridos

Neste artigo vamos partilhar convosco o roteiro que fizemos em Marrocos de carro. A nossa Road trip foi de 16 dias, a contar com o dia de ida e de regresso por Espanha.

Aqui vamos falar de uma maneira muito geral sobre os sítios, para informações mais aprofundadas devem ver os artigos dos mesmos.

Uma informação importante para quem quiser fazer este roteiro é que este está ‘no limite’ de dias/quilómetros, ou seja tentarem fazer isto em menos dias vai implicar quase de certeza saltarem sítios. Com este numero de quilómetros e locais para visitar não é possível ficar por exemplo um dia inteiro a aproveitar um hotel ou algo do género, é parar, ver os sítios e continuar viagem pelo que pode ser um pouco desgastante, embora a experiência valha muito a pena pela experiência. 

Roteiro:

Marrocos é um país culturalmente muito diferente do nosso e não sabíamos o que esperar. O que é certo é que esta experiência, revelou-se ser muito surpreendente. Tanto a nível de contacto com os locais, como com a alimentação, a condução no país..

Muitas pessoas tem receio de fazer esta viagem por mil e um factores, mas para quem quer ter uma viagem diferente, sem o estilo de vida ocidental a que estamos habituados, é uma escolha fantástica. Primeiro porque o porto onde se apanha o ferrie (no nosso caso Algeciras) fica a apenas 600km de Lisboa. Em segundo, porque é um país que tem muito para oferecer, quer pelas suas paisagens, como pelos seus costumes e tradições, que é tão bom ficar a conhecer e para que nós próprios alarguemos os nossos horizontes e fiquemos a conhecer um bocadinho do mundo do outro (que são tantos).

Antes de partirmos houve alguns procedimentos que tivemos que ter e /ou verificar (para cidadãos com nacionalidade portuguesa):

  • Não é necessário visto para entrada no país
  • É necessário ter passaporte (cerca de 65€, pedido normal)
  • Para quem tenha passaporte, tem que ter mais que 6 meses de validade
  • O veículo tem que estar obrigatoriamente no nome de uma das pessoas que for no carro 
  • Fazer uma extensão de seguro que cubra a área territorial de Marrocos (no nosso caso fizemos pela seguradora Tranquilidade que nos custou 30€)

Dia 1 | Lisboa – Algeciras

Dia de partida

Saímos de Lisboa por volta das 16h e chegámos a Algeciras já há 00h. Este dia foi todo passado em viagem, onde fizemos cerca de 650 km. Chegámos tarde e fomos até à bilheteira, já não havia ferrie e informaram-nos que o bilhete da travessia eram quase 300€, duas pessoas, mais o veículo. Decidimos então tentar comprar o bilhete numa agência, no dia seguinte e  acabámos por dormir no carro, num parque de estacionamento a 5 min do Porto.

Coordenadas parque de estacionamento: 36.133397,-5.444983

Dia 2 | Algeciras – Tanger – Merdja Zerka

Compra de bilhetes e fronteira

No dia seguinte fomos até à agência Normandie.  A loja fica a cerca de 9km do porto nesta morada : Calle Fragata, 32, 11379 Los Barrios, Cádiz, Espanha, ao pé do Carrefour. Acabámos por comprar o bilhete por 220 € ( duas pessoas + 1 carro), com data e hora de partida/regresso indefinidas. Para autocaravana o valor é 180 € (duas pessoas + autocaravana). Achámos um pouco estranho eles conseguirem vender bilhetes 70 € mais baratos que a bilheteira oficial da companhia no porto, mas a verdade é que correu tudo bem).

O nosso ferrie estava marcado para as duas, mas só saiu as 16h30h e só chegámos as 18h30h a Marrocos. É DENTRO do ferrie que o passaporte é carimbado. Quando entrarem dirijam-se para onde se forma uma fila. 

Assim que saimos do ferrie com o carro temos de ir novamente para uma fila, desta vez pelo controlo por parte da policia Marroquina. Basta mostrar os passaportes, os documentos da pessoa dona do carro e abir o porta bagagem. Isto tudo demorou mais 1h 30h.

Quando atravessamos a fronteira, há logo pequenas lojas para fazer o câmbio do dinheiro e comprar um cartão com internet, que nos deu imenso jeito. O valor foram 10€, com 5GB. Possibilitou-nos ir organizando a viagem, ver campings para pernoitarmos e ter contacto com os nossos familiares. (O roaming é altíssimo e nem vale a pena pensar em fazer chamadas do seu cartão).

Por volta das 19h, seguimos viagem pela autoestrada, em direcção a Rabat. Como já era final do dia e não gostamos de conduzir de noite, parámos num parque de campismo que fica situado num parque nacional chamado Merdja Zerka

Coordenadas Gps Camping: N 34°52’35.3964” W -6°16’48.864”

Dia 3 | Merdja zerka- Rabat

O parque de campismo custou apenas 7,5€ e era muito agradável. Verde, com árvores e imensas autocaravanas. A casa de banho deixa um pouco a desejar, mas chega perfeitamente para satisfazer as necessidades básicas (a água é quente).

Saímos do parque de campismo e sendo esta uma área protegida e no litoral, fomos dar um passeio até ao mar. A partir deste momento é que começamos a ter um real contacto com a população marroquina e a perceber como se comportam e o seu estilo de vida.

A viagem até Rabat foi feita pela autoestrada, mas mesmo assim, o caminho não é aborrecido. Em Marrocos há sempre qualquer coisa nova a acontecer e pessoas em todo o lado, se formos com atenção aos pormenores, os kms e kms que fazemos no país, nunca se tornam monótonos.

Esta zona tem muitos campos agrícolas, muitas plantações de palmeiras e pessoas a trabalhar a terra, ainda com os animais (burros e cavalos).É comum ver autocarros atolados de mercadorias, com uma altura que não imaginamos ser possível.. mas aqui tudo o é.

Em Rabat estacionámos num parque de estacionamento mesmo no centro, com . Estes parques são sempre pagos, os grandes e os mais pequenos. É comum sempre que estacionar o carro, vir um homem de colete laranja, pedir uma moeda.

Rabat é a capital de Marrocos e foi a primeira grande cidade que visitámos. 

Coordenadas parque de estacionamento:  34º01’45.4”N 6º50’01.9”W (fica mesmo ao lado do Kasbah de Oudaias, o preço são 3DH/H (+/-0.30€), as autocaravanas podem estacionar mas não podem pernoitar)

Dia 4 | Rabat – Casablanca – El Jadida – Marraquexe

Saímos de Rabat no dia 4 de manhã e seguimos em direcção a Casablanca. Esta é a capital económica do país e não tem muitos pontos de interesse, mas o que tem, vale a pena a paragem só para a ver, a mesquita Hassan II. 

Demorámos cerca de 1h e viajámos em direcção a El Jadida, ou Marzagão. Uma cidade ocupada pelos portugueses à mais de 500 anos . A medina foi praticamente toda construída nesta época, bem como as muralhas e a cisterna, a maior feita por portugueses.

Já ao final do dia, chegámos a Marraquexe. Ficámos num parque de campismo brutal, por 9,5€. Tinha uma piscina enorme, espaços para autocaravanas/tendas, com casas de banho muito limpas e com características de um marroquino moderno.

Coordenadas parque de campismo de Marraquexe “Ourika camp”: N 31°31’35.04” W -7°57’34.992”

Dia 5 e 6 | Marraquexe

Quando planeávamos a viagem, a única coisa que reservámos, foram duas noites numa Riad em Marraquexe. Primeiro porque queríamos ter a experiência de dormir numa destas casas, tão tipicamente marroquinas, em segundo, porque todos os sítios mais baratos já estavam todos lotados, pensámos que se não reservássemos algum alojamento no momento, o mais certo era não conseguirmos dormir num.

Comprámos uma riad que nos custou 55€ duas noites, tinha incluído casa de banho no quarto  e pequeno almoço, com 30€ de desconto que usufruímos pelo Airbnb. (Clica aqui para receberes 30€ para usufruir na tua primeira reserva).  Adorámos a hospitalidade e as comodidades da Riad, achamos que é uma óptima relação qualidade-preço.

Uma vez que Marraquexe é uma das principais cidades Marrocos, optámos por ficar aqui 2 noites e 2 dias completos, para que a pudéssemos sentir e ficar a conhecê-la

Dia 7 | Marraquexe – Ouzoud – Ouarzazate

De Marraquexe seguimos em direcção a um sítio que queriamos muito conhecer, as Cascatas de Ouzoud. Já tínhamos visto algumas fotografias e tínhamos muita curiosidade, para saber se correspondia às expectativas.. e não é que ficámos mesmo encantados. 

Ainda neste dia seguimos em direcção a Ouarzazate, passando pela montanhas do Atlas. O ponto mais alto  por onde passamos foram 2300m. Chegámos já de noite. 

 

Dia 8 | Haid Ben Addou – Estúdios Atlas – Skoura

Ouarzazate é uma das principais cidades da região pré-Saara marroquina e tem  diversos pontos de interesse. Este foi um dia muito completo e bem passado. Acordámos cedo e fomos visitar Ait Ben Haddou, uma cidade fortificada que se situa na antiga rota de caravanas entre Ouarzazate e Marraquexe. Esta cidade fica a antes de Ouarzazate, e sinceramente com a adrenalina que foi fazer a estrada que passa pelo Alto Altas já de noite nem nos lembrámos que queríamos ir a Ait Ben Adou, pelo que tivemos que ir quando acordámos de manha.

De seguida fomos até aos Estúdios Atlas, um local onde foram gravados diversos filmes de Hollywood. Pagámos para entrar 80Dh, que são mais ou menos 8€. Este era um sítio que queríamos muito visitar, porque nunca tínhamos visitado nada igual. Os cenários são muito engraçados, podemos observar pequenas cidades; colunas, múmias e esfinges egípcias; é um ambiente muito artístico, colorido e com muitas pinturas.

Almoçamos uma Tagine na medina de Ouarzazate e ao final da tarde, fomos para um parque de campismo com piscina que ficava a 40km (Skoura), em direcção a Merzouga (deserto), pagámos apenas 5€.

Coordenadas parque de campismo de Skoura : 31°03’00.2″N 6°34’36.6″W

Hait Ben Haddou, Marrocos
Estúdios Atlas, Marrocos
Estúdios Atlas, Marrocos
Hait Ben Haddou, Marrocos

Dia 9 | Skoura – Merzouga

De Ouarzazate seguimos para a região do deserto do Saara, mais concretamente Merzouga.O deserto inicialmente não estava nos nossos planos, mas já em território marroquino decidimos alterar o roteiro. O deserto era uma experiência que queríamos muito ter e não fazia sentido estar a adiar. 

O caminho de Skoura para Merzouga é muito interessante e é preciso sem dúvida fazer uns desvios. O primeiro que fizemos foi numa zona conhecida pelo ”vale das rosas’‘ ( quando chegarem à rotunda principal de Kelaat-M’Gouna, virem à esquerda). Não vimos muitas rosas, mas o caminho valeu muito a pena. O terreno é muito árido e algo inóspito, à excepção do vale onde corre o rio, com a cordilheira do Atlas como pano de fundo. Conduzimos cerca de 30km até voltarmos para trás.

Um pouco mais à frente fica o Gorge du Dades, uma das estradas mais conhecidas de Marrocos ( à esquerda em Boumalne Dadès – a cerca de 20km).

No nosso caso saímos tarde de Skoura e não conseguimos chegar a Merzouga, pelo que acabamos a dormir no carro à frente de uma mesquita. Ou seja se quiserem fazer isto num dia, é preciso sair de Skoura logo depois do pequeno almoço. A estrada nesta parte de Marrocos está optima.

No dia a seguir às 11 da manha chegámos a Merzouga onde ficámos num parque de campismo muito bom, mesmo colado ás dunas. Pagámos 5€ com piscina.

Coordenadas ”Vale das Rosas” : 31°20’04.3″N 6°10’34.1″W

Coordenadas ”Gorge du Dades” : 31°31’41.6″N 5°55’30.1″W

Coordenadas parque de campismoHaven La Chance Desert Hotel”:  31°08’01.2″N 4°01’08.0″W

Dia 10 | sAARA – iFRANE

Depois de um dia e pouco em Merzouga ( zona das dunas), seguimos em direcção a Ifrane, este foi o dia que conduzimos mais em Marrocos, passado cerca de duas horas de sairmos do deserto, estávamos a ver neve, o que mostra muito a diversidade de paisagens.

Pelo caminho há sítios bonitos, aconselhamos uma paragem no vale do Ziz, para ver um dos maiores palmeirais de Marrocos, o vale é visível ao longo de vários quilómetros na estrada principal, no final existe uma vista muito bonita, de onde tirámos a fotografia em baixo.

Aproveitem para parar numa loja/museu de fosses que se encontram espalhadas por esta zona, têm exemplares muito interessantes.

A razão que nos levou a Ifrane, foram os seus macacos ‘selvagens’. A grande maioria dos macacos hoje em dia sobrevive com a comida que os turistas dão, pelo que não são verdadeiramente selvagens. No entanto provavelmente o turismo acaba por protege-los de outra maneira. Esta zona também é é conhecida pela pratica de desportos de inverno, visto que nos meses mais frios cai neve, com os vales cobertos de árvores deve ficar uma paisagem muito bonita.

Coordenadas do melhor sitio para ver as palmeiras : 31°31’41.6″N 5°55’30.1″W

Coordenadas do sitio para ver os macacos : 33°25’38.9″N 5°09’35.1″W

Parque de campismo em Ifrane :  33°26’36.5″N 5°11’24.4″W

Dia 11 | iFRANE – mEKNES

Depois de vermos os macacos, seguimos em direcção a Meknes, uma das cidades imperiais marroquinas. Esta cidade tem muitos pormenores arquitectónicos interessantes, na foto em baixo podem ver portão principal, extremamente ornamentado (Bab Mansour).

Outro factor que nos fez gostar desta cidade é o facto de não ter muitos turistas, o que faz com que possamos ‘sentir’ um pouco mais o sitio e ver os marroquinos na sua vida normal.

 

Dia 12 e 13 | mEKNES – fEZ

Depois de Meknes, fizemos cerca de 60km até chegarmos a Fez, cidade onde ficamos 2 dias. 

Fez para alguns autores de livros é a ‘melhor/maior cidade medieval islâmica’ , querendo com isto dizer que é a maior cidade islâmica que ainda conserva uma maneira de viver mais parecida com antigamente. A Medina é a maior do mundo, com mais de 9 000 ruas e 200000 residentes.

A cidade tem muitos motivos de interesse e é preciso 2 dias completos para a ver minimamente. 

Coordenadas do parque de estacionamento : 34°03’39.8″N 4°59’07.5″W

Clica aqui para veres o artigo :  Marrocos | Fez – O que fazer/ver na maior medina do mundo

Dia 14 | fEZ – cHEFCHOUEN

A nossa última paragem em Marrocos foi Chefchouen, a cidade azul. A estrada que liga as duas cidades não está em bom estada e ha zonas que requerem especial atenção sobretudo pelos buracos e lombas.

Sinceramente não morremos de amores pela cidade. É bonita, e os tons de azul têm o seu encanto é verdade mas é demasiado turística, as pessoas fazem filas para tirar fotografias para o Instagram em certas ruas, há muitos grupos de turistas o que no nosso entender descaracterizam o sitio. No entanto não deixa de merecer uma visita.

O parque de campismo onde dormimos foi o pior em que ficámos em Marrocos e por curiosidade o mais caro. 10€ para duas pessoas, mais 1€ por banho.

Para quem quiser provar uma das principais iguarias proibidas marroquinas esta zona é conhecida por isso, basta seguir pela estrada de terra batida ao cimo do parque de campismo.

Coordenadas parque de campismo : 35°10’33.2″N 5°16’01.0″W

Dia 15 | CHEFCHOUEN – Tanger 

É possivel fazer Chefchouen – Lisboa num dia, mas para isso é preciso acordar muito cedo, pois a travessia do ferrie pode demorar e a viagem até Lisboa ainda demora 6h/7h, pelo que optámos por ficar o dia em Chefchouen e dormir no carro no porto de Tanger para apanharmos o primeiro barco

conduzir em marrocos morocco

Dia 16 | Tanger – Lisboa

O último dia é para o regresso a casa, no nosso caso apanhámos o ferrie às 10 da manha e chegámos a Lisboa às 21h, as estradas em Espanha são bastante boas e apenas parámos para almoçar em Sevilha.

Ajuda-nos a viajar mais 🙂

Queres ajudar a manter o site no ar e a contribuir para a nossa paixão de viajar? Utiliza um dos links abaixo para fazeres as tuas reservas. Para ti não tem qualquer custo e nós recebemos uma pequena comissão. Muito obrigado.

  • Reserva de alojamento através da Booking —-> Clica aqui !
  • Reservas através do Airbnb (30€ de desconto – novos utilizadores) —-> Clica aqui !
  • Compra os bilhetes para os monumentos e experiências através do Get Your Guide —> Clica Aqui !

Outros Artigos

Grécia – Rota Arqueológica

Durante a nossa passagem pela Grécia uma das coisas que mais nos impressionou foi a quantidade de vestígios e monumentos arqueológicos que este pais têm e que revela perfeitamente a…

Cinque Terre – Manarola

Manarola localiza-se em Itália e pertence à província de La Spezia. Fica numa região chamada Cinque Terre, pois existem 5 terras muito bonitas e características, em colinas junto ao mar,…

se tiveres alguma dúvida, ou quiseres colocar alguma questão, é só deixar aqui um comentário ou enviar-nos um e-mail para worldonmyway@worldonmyway.com

8 comentários em “Road trip Marrocos | Roteiro 15 dias

  • Olá
    Parabéns pelo vosso blog e pelas aventuras, ando a pesquisar sobre Marrocos e dei com isto!
    Gostava que me ajudassem respondendo a duas questões:
    Além dos parques de campismo onde ficaram é fácil encontrar muitas outras opções de campismo por todo o país? A viagem que irei fazer com uns amigos será de mota, esta opção resolve logo a questão da guarda das motas durante a noite!
    Eu no meu caso tenho uma quantidade de restrições alimentares no que toca a comidas muito condimentadas, é fácil encontrar comida banal de grelhados e cozidos ou eles têm uma enorme vocação para coisas muito temperadas e condimentadas?
    Obrigado pela vossa ajuda,
    Abraço
    mq

    • Olá Manuel ! Obrigado 🙂
      Olha em relação aos parques de campismo, ha bastantes, no entanto em certas zonas mais ‘desertas’ pode ser um pouco complicado encontrar, mas para isso recomendamos que uses este site : http://www.park4night.com e que procures por parques de campismo. Logo depois do ferry, são vendidos cartões com net e a partir dai podes estar sempre actualizados a nível de sítios para dormir.
      Eles comem bastante grelhados, tajines (comida cozida durante mais de uma hora ao lume dentro de recipientes de barro) e cuscus, a questão é que quando pedes eles ja estão a fazer a comida, pelo que o que podes fazer é pedir as coisas quase sem condimentos, pode é demorar um pouco mais de tempo. Mas a comida deles é bastante simples, é basicamente frango, cabra, legumes, batata e cuscus.
      Boa sorte e boa viagem !

  • Olá! Também já fizemos Marrocos em 15 dias de 4×4,com um grupo de amigos, levámos crianças e nunca sentimos insegurança! Foi uma viagem espetacular! O roteiro não foi o mesmo mas alguns pontos coincidem. Boas viagens!!! E obrigada pela partilha!

  • Olá. Gostei mto das vossas dicas. Exatamente o percurso que tenciono um dia fazer, mas ainda nao consegui convencer todos os amigos. Vou partilhar com eles o vosso testemunho. Obrigada e boas viagens!

    • Obrigado ! Tão perto e tão diferente, quando forem vão pensar como é que ainda não tinham ido antes.. que foi o que nós pensámos eheh
      Boas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *